Meu Cachorro gosta de música

Vou contar uma pequena história que aconteceu ano passado. Estava eu, e minha flauta, e uma amiga com o violão, em minha casa, tocando alguns chorinhos, para estudar e pra nos divertir claro. Só que essa minha amiga, levou seu lindo cachorrinho, na verdade, cachorrinha, e durante nosso ensaio, ela ficou irritada com o som da flauta, passou mal e vomitou. Desde esse dia então, achei que nunca poderia ter cachorro, pois ele nunca se acostumaria com o som da flauta.

Pois bem, há 2 meses (aproximadamente) resolvemos adotar um cachorro, um shih-tzu lindo, que está aí na foto. Aí já fui pegando minha flauta para ver a reação do bichinho...não deu outra, ele teve tanto medo, que fiquei meio preocupada, e agora? Não poderia mais tocar minha flauta???

Depois de alguns dias, para minha surpresa, ao começar a estudar (escalas, arpejos e afins) não é que o cachorro gostou? E mais, ainda ficou super tranquilo e quieto quando eu toco, ele resolveu sempre ficar do meu lado e dormir!! Sim, você pode pensar que dormir não é grande coisa, afinal, minha música faz um cachorro dormir..ahahhaah mas não.

Olha só, a excelente audição dos cães os torna mais sensíveis, pois podem perceber sons que para os humanos são inaudíveis, por isso podem ficar mais abalados, sensíveis e nervosos com os fortes decibéis. O homem é capaz de perceber ondas sonoras na freqüência de aproximadamente 16 a 20.000 hertz. Já os cães são capazes de ouvir vibrações sonoras aproximadamente nos limites de 10 a 40.000 hertz. Então, o cachorro ouve todos os harmônicos da flauta, e fica nervoso e sensível.

Mas não o meu, ele acostumou muito, e como ele não passa mal, nem fica nervoso, e ao contrário, dorme, eu entendi que ele gosta de música. Não sei se é porque desde o momento que ele chegou aqui que ele ouve música, pudera, né? O fato é que ele gosta!!!

E em homenagem a ele, aí vai uma fotinha do Billy de Abreu (meu cachorro)

wink

Abraço e bom feriado a todos

 

Débora Abreu
15/11/2007
12:27

Trilha Sonora

Essa semana, aproveitei a segunda-feira, que era o dia do cinema nacional do cinermak, e fui assistir a algum filme. Como era de se esperar, filas gigantescas, porque sim, cinema a 2 reais, todo mundo quer , né? (aproveito para fazer um parêntesis sobre os preços dos cinemas, que coisa absurda e sem propósito de cara, ainda mais para quem nao é estudante). Mas enfim, acabei indo ver um filme que nem sabia do que se tratava, chama-se "O cheiro do ralo", com o Selton Mello. Cara, o filme é muiiiito alternativo. Inesquecível, devo dizer, mas o que quero falar é sobre a trilha sonora.

Trilhas sonoras devem passar o máximo possível do filme. Nunca me esqueço de um filme chamado Sideways (Entre umas e outras), que a trilha era muito boa, cheia de jazz, de improvisos, o que combinava perfeitamente com o filme (que recomendo para quem não viu). Mas voltando ao Cheiro do Ralo, no site oficial do filme, www.ocheirodoralo.com.br você pode ouvir a trilha do filme. Se você não viu o filme vai achar tudo muito psicodélico, e é essa a idéia!!! Caramba, quem fez a trilha está de parabéns.. e enquanto escrevo isso, estou ouvindo a trilha, claro!!! Pra me estimular a mente!

Eu gostaria de saber fazer trilhas para filmes, um dia quem sabe, né? Mas é uma área interessante essa de filmes!!

Qualquer opinião sobre o filme é bem vinda. Comente!!

Abraços!!!

Débora Abreu
07/11/2007
09:45

Uma breve introdução!

Hoje começo a postar as coisas aqui no meu site. Pretendo colocar aqui algumas informações sobre música, minhas aulas, minha vida, apresentações e agendas de trabalho. Mas acima de tudo pretendo escrever e colocar algumas opiniões minhas sobre a música, toda ela, ou alguma coisa específica que li ou ouvi.

Semana passada fomos, eu, meu marido e uns amigos, assistir a apresentação da Orquestra a Base de Sopros de Curitiba, do Conservatório de MPB, e com eles, o pianista, arranjador, compositor André Mehmari. Devo confessar que não conhecia esse rapaz, mas me espantou alguém, pouco mais velho que eu, ter feito tanta coisa e tocar tão bem. Um dia eu chego lá.

Mas do que tocaram, duas músicas ficaram na minha mente, uma chamada "Lachrimae" , linda, que sim, dava vontade de chorar, contrariando os que acham que música só serve para trazer felicidade. Muito bem feita a música e muito bem tocada, claro. A outra, um arranjo da música de Milton Nascimento, Ponta de Areia. Gostei muito do uso de acordes invertidos e muitas dissonâncias. Música boa mesmo... se tiver interesse, compre o cd desse rapaz, vale a pena!

Ah sim, o "rapaz" aí, fez a trilha do PAM Rio 2007. Só isso! wink
Valeu muito a pena, a orquestra toca muito bem, nos anima a ver coisas novas, e curtimos bastante.smiley

Bom, pra um começo, acho que está bom.

Se quiser, envie seu comentário, dúvida ou sujestão, estarei disposta a responder o que eu souber!

Abraço e boa semana!

Débora Abreu
05/11/2007
17:11

Páginas