Benefícios da música após os 50 anos

Tenho estudado bastante e me interessado cada dia mais por ensinar adultos a cantar e tocar. Vejo que muitas pessoas me procuram, achando que não dá mais tempo, que não conseguem aprender, o que na verdade é um mito. Pode acontecer, com o passar dos anos de aprendermos em velocidades diferentes, claro, já não temos a mesma energia e nem o tempo de uma criança ou adolescente, porém é possível aprender e faz muito bem. Vantagens:

  • Melhora a memória de uma forma geral. Nada melhor do que deixar ela melhor, ou não deixá-la pior né?
  • Melhora a auto-estima;
  • Melhora a percepção de si mesmo;
  • Melhora a linguagem, leitura e fala;
  • Faz bem para a emoção.

Ainda, claro, fazer música é algo que pode surpreender e evitar doenças degenerativas neurológicas. Então, não deixe pessoas dizerem que você não pode, nunca é tarde para aprender algo novo!

 

 

Débora Abreu
16/11/2016
17:37

Amusia Congênita, será que você tem?

Recentemente estão aparecendo novas pesquisas a respeito da música, de como a nossa mente a percebe, e de como isso é processado em nosso cérebro.

Um novo termo vem sendo empregado, chamado de "Amusia Congênita". Segundo pesquisas da Universidade de New Castle as pessoas que apresentam essa condição não conseguem perceber notas fora do tom, e têm dificuldade em perceber a música da mesma forma como as outras pessoas percebem. Ainda é algo bem novo, mas isso justificaria por exemplo alguém que não consegue aprender um instrumento musical, ou tem enorme dificuldade para cantar. Você pode ler um pouco dessa pesquisa aqui.

O termo "amusia" já é empregado nas pessoas que perdem a capacidade de compreender a música após uma lesão cerebral, como é o caso da Afasia , na linguagem, a amusia seria para a música. Então, na amusia congênita, essa falta de percepção estaria envolvida à uma pré-disposição genética, já que foram encontrados nos familiares a mesma falta de percepção musical.

Achou interessante? Você acha que pode ter essa "amusia congênita"? Então faça um teste e verifique. Ainda não tenho conhecimento para dizer se uma pessoa assim tem problemas para aprender música, mas chegarei lá. Clique aqui pra fazer o seu teste de "amusia congênita".

Em breve novidades por aqui, e vamos estudando!!

Débora Abreu
15/11/2016
14:18

Voltei...

Oi pessoal, estou um pouco sumida do meu site porque tenho estudado bastante, e com novos planos para o futuro. Nos últimos meses tenho me aprofundado muito em Neurociência, e como isso pode me ajudar a ensinar música para as pessoas.

Agora estou fazendo uma pós-graduação em Neurociência Clínica, e pretendo em breve também entrar num mestrado.

Depois de anos dando aulas, várias questões me vieram à tona, e agora estou em busca de respondê-las. Por isso, vários tópicos de minha pesquisa já estarão por aqui, para uma boa reflexão sobre a música, e como ela pode ser acessível a todos.

Obrigada por acompanhar meu trabalho, e em breve terei mais novidades por aqui e algumas novas dicas!!

Débora Abreu
08/11/2016
13:55

Instrumento roubado!

Essa semana, aqui em Curitiba, fomos vítimas de mais violência que assola nosso país... fui rendida dentro do carro, e os ladrões (com arma) levaram o carro e tudo que havia nele. Infelizmente não conseguimos recuperar nada.

Triste porque é tão difícil comprar um bom instrumento, e meu violão foi nessa... ainda pagando por ele, com outros instrumentos que vendi para conseguir comprar. De qualquer forma fico feliz que muita gente tem me ajudado, mesmo com um pouco, ou comprando meu CD, para eu tentar ter outro.

Complicado e triste o nosso país... mas Deus tem cuidado de nós. Se quiser me ajudar, entra no endereço https://www.vakinha.com.br/vaquinha/violao-de-volta e doe qualquer valor. Ou compre um CD meu pelo site: https://deboraabreu.com.br/

Valeu por visitar meu site!

 

 

Débora Abreu
09/06/2016
14:00

A música e o Cérebro - Aprendendo

Olá pessoas que acompanham meu trabalho!

Terminei ontem de ouvir o curso pelo Audible, do Dr. Patel, intitulado "Music and the Brain". Confesso que estou encantada, e ao mesmo tempo intrigada e curiosa sobre tudo que aprendi nesse curso.

Muitos estudos recentes têm sido feito, já com imagens do cérebro, e como ele se comporta com a música, e por isso mesmo, muitas coisas estão sendo descobertas do ano de 2014 pra cá, o que deixa a coisa muito mais interessante, porém ainda com algumas questões não respondidas.

Mas algumas coisas que ele cita, e tiro algumas conclusões:

  • Todo ser humano é pré-disposto à música, assim como para a fala e linguagem
  • A pessoa que realmente não consegue aprender música não é algo natural, e sim, existem patologias associadas a este fato, portanto, pode ser algo patológico.
  • Concluindo, todos podem aprender música, exceto por alguma patologia envolvida.
  • Assim como a fala, a música requer treino e interesse, senão ela não será desenvolvida.

Ele tira uma dúvida que todos temos: As pessoas nascem com talento musical? Ou isso é produto do meio? Do Comportamento? Se tiver interesse em ouvir e aprender mais sobre o assunto, tá aí o link: http://www.thegreatcourses.com/courses/music-and-the-brain.html

A música tem uma conexão direta com a linguagem, e eu como estudiosa do assunto, não poderia deixar de me interessar por isso. Então vai uma dica, o livro: Music, Language, and the Brain, do Dr.Patel.

Ainda há muito que se estudar e pesquisar sobre o assunto, mas abriu minha mente para várias coisas, inclusive na hora de ensinar música às pessoas.

 

Abraços a todos!

 

Débora Abreu
20/04/2016
10:32

Dicas para Melhorar os seus agudos

Os agudos sempre foram problema, tanto para quem canta, como para quem toca, por exemplo a flauta transversal. A gente tenta colocar bastante ar, porque precisa para chegar nos agudos, mas sai esquisito. E na voz? A maioria tenta colocar força, achando que ela vai ajudar a melhorar os agudos. Na verdade, para quase todos os casos, colocar força é o que mais atrapalha de chegar nos agudos.

Então, gosto de trabalhar com algumas coisas que vão facilitar sua vida. Vou comentar apenas 3 delas.

  1. Laringe abaixada: para se conseguir bons agudos é preciso abaixar a laringe, e não subir, como alguns fazem. Quanto mais você conseguir deixar abaixada, mais fácil será produzir o som. Tente fazer bocejos agudos, bem leves, ou exercícios de espaguete (puxando o ar pela boca) e em seguida produzir uma nota aguda, começando pelo falsete.
  2. Espaço faríngeo: abra bem o fundo de sua garganta, para relaxar e liberar o espaço para os agudos.
  3. Comece exercícios com falsetes ou voz de cabeça leve, para diminuir a força do TA e fazer o alongamento do TA usando o CT. Assim será mais leve e fácil começar a treinar os agudos.

Apenas algumas dicas para começar. Evite esforço, isso pode lesionar sua musculatura. E tenha sempre em mente que um bom cantor precisa sempre estar relaxado.

Bom treino

 

 

Débora Abreu
20/02/2016
10:10

Páginas